Turismo

Atrativos Turísticos

Quando o visitante chega a Salvador, surpreende-se com a variedade de atrativos turísticos. A cidade guarda carinhosamente suas paisagens bucólicas, belezas naturais que encantam o observador mais exigente e são opções de lazer e descanso.

Na Bahia existem 23 APAs – Áreas de Proteção Ambiental, sendo que, destas, quatro se encontram na Região Metropolitana de Salvador, a exemplo da Lagoa do Abaeté e do Rio Joanes, num total que representa um milhão e 800 mil hectares, aproximadamente 4% do território baiano.

O Centro Histórico, tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – é reconhecido mundialmente como um dos mais relevantes centros de cultura e turismo do país, por seu rico legado histórico e possuir centenas de casarões coloniais que encantam o mundo inteiro.

No coração do Centro Histórico está o Pelourinho, com seus sobrados seculares, igrejas e sucessivas atrações: museus, teatros, praças, lojas, bares, restaurantes.

O Pelourinho sempre oferece uma atração ao visitante, sendo um dos mais agitados pontos turísticos da cidade.

Ao visitar uma roda de capoeira no Mercado Modelo o turista não pode deixar de subir à Cidade Alta no maior elevador público do Brasil, o Elevador Lacerda que, da sua parte superior a paisagem é fascinante e inesquecível, com a imensa Baía de Todos os Santos e suas centenas de embarcações convidando a inúmeros passeios no mar.

Pontos Turísticos

Terreiro de Jesus

A praça XV de Novembro, mais conhecida como Terreiro de Jesus, por causa da Igreja dos Jesuítas (atual Catedral Basílica), mantém características urbanas dos séculos passados. Sobrados ricamente adornados e três igrejas testemunham a época áurea em que Salvador foi capital da colônia. No centro da praça, um chafariz de origem francesa (1855), todo em ferro fundido, representa a deusa Ceres, da agricultura.

Museu da Cidade

Instalado num casarão do Pelourinho, foi inaugurado em 5 de julho de 1973. Ligado à Fundação Gregório de Mattos, reúne no seu acervo bonecas tradicionais da Bahia, esculturas, tapeçarias, cerâmica, pano-da-Costa, ex-votos e terços, além de coleções de imagens de orixás em tamanho natural e de peças de uso pessoal do poeta baiano Castro Alves.

Solar do Unhão

Localizado em um sítio histórico do século XVI, era na sua origem um complexo agro-industrial de produção de açúcar e possuía Casa Grande e Capela. Com a crise da cultura açucareira, o solar foi arrendado sofrendo posteriormente um grande processo de degradação. Ainda na década de 40, foi tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, sendo depois adquirido e restaurado pelo Governo do Estado da Bahia, através do trabalho da arquiteta Lina Bo Bardi. Desde 1969 sedia o MAM – Museu de Arte Moderna e possui ainda oito salas de exposições, teatro-auditório, sala de vídeo, biblioteca especializada e banco de dados.

Mercado Modelo

A construção de 1861, localizada na Praça Cayru, apresenta uma rotunda ao fundo, onde atracavam os navios para descarregar mercadorias na Alfândega, ocupação do prédio na época. O mercado passou a funcionar no prédio em 1971 e, 13 anos depois, pegou fogo e foi reformado.

Hoje, tem 259 boxes com o que há de melhor no artesanato nordestino (batas, toalhas de renda, redes, balangandãs e patuás), dois restaurantes (Camafeu de Oxóssi e Maria de São Pedro), além de bares com bebidas típicas e tiragosto. A rotunda, por sua vez, passou a funcionar como palco de rodas de capoeira e apresentações de cantadores e repentistas.

Pelourinho

Principal ponto turístico de Salvador, abriga vielas íngremes, com igrejas, museus e alguns dos mais badalados bares e museus da cidade. Foi considerado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. São mais de 800 casarões dos séculos XVII e XVIII. O nome do bairro faz referência às colunas onde os negros eram açoitados em praça pública.

Elevador Lacerda

As quatro cabines do maior elevador público do mundo interligam os 72 metros que separam a praça Tomé de Souza, na Cidade Alta, da praça Cayru, na Cidade Baixa. O sobe-e-desce carrega 28 mil passageiros/dia, dura 30 segundos e custa R$ 0,05. Inaugurado em 1873, foi planejado e construído pelo comerciante Antônio Francisco de Lacerda.

Praça Castro Alves

A praça, batizada em nome do poeta Antônio de Castro Alves, é palco e coração do Carnaval de Salvador, maior manifestação popular do Brasil. O monumento do escultor italiano Pasquale Di Chirico, feita em bronze e granito, imortaliza o poeta em atitude de declamação.

Praia de Itapuã

Um cenário exuberante, que inspirou Dorival Caymmi e Vinícius de Morais, tornou a praia de Itapuã conhecida nacionalmente. Tem ondas calmas e mar protegido por arrecifes. No local está instalada uma colônia de pescadores, que emoldura o cenário com pequenos barcos e jangadas.

Igrejas

Durante a colonização, os portugueses trouxeram a religião católica e os negros não esqueceram sua cultura africana e aqui exerciam o Candomblé. Este sincretismo possibilitou o crescimento de um povo extremamente religioso. Segundo a lenda popular, Salvador possui 365 igrejas das mais diversas ordens religiosas. Datadas dos séculos XVII e XVIII, alguns dos mais famosos monumentos histórico-religiosos estão localizados no Centro Histórico.

A famosa Igreja de São Francisco, no Centro Histórico, impressiona o visitante com seu interior todo folheado a ouro e fachada em estilo barroco. Na Cidade Baixa, erguida em 1772, está a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim. De tantas devoções e milagres é a mais conhecida das igrejas baianas.